Seguidores

Pesquisar neste blogue

Vigilante - Arcade Review - Por: Old Game Master:

Loading...

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Phelios - Review

NAMCO E SEU SHOOTING MITOLÓGICO:



Voltando no tempo, á exatos 19 anos atrás, quando o bom e velho Mega Drive ou o Genesis (EUA) estava no seu começo de carreira, o console prometia (entre outras coisas) conversões fiéis de jogos de Arcade. Tivemos prova disso através de Arcades da Sega como: Altered Beast e Golden Axe. Mas Phelios não foi um Arcade da Sega e sim da Namco que havia sido lançado dois anos antes em 1988 no Japão. E que ganhou uma versão para Mega Drive em 1990.

Pouca gente conheceu a versão Arcade, mas a versão para o Mega Drive ficou muito bem conhecida, ganhou matérias em revistas especializadas aqui no Brasil e recebeu boa criticas, e claro foi aclamado como um clássico entre os jogadores desta plataforma.


Phelios conta a história de Apolo (Deus do Sol) que tem que resgatar Artemis raptada por Thypon enquanto estava cavalgando em Pegasus. Apolo e Pegasus devem percorrer sete fases enfrentando inimigos de todos os tipos e alguns famosos na mitologia como Medusa.

A Namco resolveu mesclar as características dos Shootings convencionais e com elementos mitológicos que faziam ( e ainda fazem) grande sucessos entre os jogos de ação e aventura, a receita não poderia ter outro resultado senão um jogo que reúne o melhor destes dois gêneros tanto em sua versão para Arcade quanto sua versão para videogame.


A visão do jogo é um Up Scrooling progressivo, ou seja, uma visão de jogo em que se vê o personagem por cima ou uma visão aérea em que a tela progressivamente vai subindo dando a sensação de movimento, além disso, existe um efeito de retração e aproximação em que se tem a sensação de subida, descida e entrada do personagem em alguns locais além de um giro180 grau que simula movimentação em algumas partes do jogo. O personagem pode movimentar-se para cima e para baixo na esquerda e direita, os inimigos aparecem em todas as direções vindas de cima e dos lados e nunca na parte inferior da tela. Em Phelios apenas um único botão é usado para tiro, mas o jogador pode segurar o botão (carregar) os tiros para desferir um tiro mais forte, existem Power Ups que complementam os tiros do personagem. Talvez esse seja um dos deméritos do jogo, já que poderia ser acrescentados Power Ups mais potentes ( como bombas ou Magias) de efeitos mais poderosos.

O som de Phelios é de acordo com a temática do jogo, mas é um som calmo, suave e relaxante. As animações entre as passagens de fases (capítulos) também não decepcionam mostrando a situação de Artemis presa por Typhon, geralmente elas aparecem numa espécie de oráculo (um grande círculo d’água), isso pode parecer comum agora, mas poucos jogos dos sistemas 16 bits contavam com este recurso.


Phelios pode ser considerado um jogo relativamente curto (Oito fases), mas a brevidade do jogo é compensada pela grande dificuldade que a Namco impôs a este jogo, detalhe: em ambas as versões são possíveis escolher o nível de dificuldade easy (fácil) ou hard (difícil) e mais um detalhe na dificuldade easy são apenas Cinco fases no Hard existem mais Três fases, no mega Drive, existe a dificuldade Expert e acrescenta mais uma fase ao jogo. Se Apolo é atingido duas vezes perde-se uma vida, e é preciso retornar ao começo da fase e começar a jornada toda de novo, isso é um pouco frustrante quando se esta num ponto mais avançado da fase. Os inimigos aparecem aos montes, e mesmo com um Power Up mais poderoso eles demoram a morrer, e a dificuldade maior fica por conta das batalhas contra os mestres de fase. Portanto terminar Phelios é uma tarefa nada fácil. Ainda sim Phelios é desafiador e um jogo como poucos.


MÍDIAS:


Box, Manual e Cartucho de Phelios na sua versão Japonesa.


Box do cartucho da versão Européia/ Americana ( a diferença esta no nome Genesis no encarte do Box).


Existem diferenças muito sutis entre a versão Arcade e a versão para o Mega Drive. Enquanto a primeira o plano de jogo em sua tela parece mais distante e abrangente, no Mega Drive ele parece mais aproximado. Os samplers de vozes existentes nas duas versões, na versão árcade parecem mais limpos, enquanto na versão do Mega Drive este um pouco abafado, mas ainda sim perfeitamente audível. Existe também um Bug na versão Arcade, em que quando Apolo esta atirando ele praticamente desaparece de Pegasus, na versão Mega Drive este Bug foi eliminado. O Medidor de energia na versão Arcade fica na parte inferior da Tela, já na versão Mega Drive esta na parte direita da tela.Algo que chama a atenção é que a versão para Mega Drive parece ter sido mais “adulta” nas suas animações. Podemos conferir abaixo, as animações de Artemis em ambas as versões, na versão do Mega Drive, Artemis muda o estilo de seus trajes e parece que perde algumas peças ao decorrer das animações


Acima e ao Centro (Cliquem na imagem para ampliar): Podemos conferir as diferenças entre as duas versões nas imagens superiores podemos conferir a versão Mega Drive(Genesis) e na parte inferior a versão Arcade. Embora o Mega Drive perca uma pouco das definições do Arcade, esta versão se sobressai em outros aspectos tornando ambas as versões equilibradas.


OPA!!! O MEGA DRIVE NÃO CENSUROU:



Acima e ao Centro (Cliquem na imagem para ampliar):Podemos observar em nova imagem comparativa que ao contrário de muitos jogos que impunham uma censura as animações sensuais, a versão para Mega Drive inverte este conceito e cria animações diferenciadas e mais adultas.

VOCÊ SABIA, QUE...

Na Mitologia Greco -Romana, Typhon tem vários nomes. Thypon (Em Grego Antigo: Τυφῶν, Tuphōn), também Typheus/Typhoeus (Τυφωεύς, Tuphōeus), Typhaon (Τυφάων, Tuphaōn) ou Typhos (Τυφώς, Tuphōs) Thypon é um dos últimos filhos da Deusa Gaia, que foi banido ao Tartarus (Mundo inferior), e é conhecido como o Deus dos ventos. Typhon tentou por várias vezes tomar o lugar de Zeus, senhor dos Deuses e dos homens na mitologia. Typhon é descrito nas histórias como uma das maiores e mais grotescas criaturas que já viveram sobre a Terra, muitas vezes é confundido com uma hydra( por possuir várias cabeças em forma de serpente). Segundo a mitologia ele foi derrotado por Zeus que como golpe final, jogou o Monte Etna sobre ele.

Em vários jogos de RPG entre outros existem citações sobre Thypon em forma de magias usadas pelos personagens. Em God Of War II existe uma Habilidade chamada de :Typhoon's Bane (Citação direta ao Deus dos ventos Typhon), usada por Kratos, confira a imagem abaixo.




NOSSA AVALIAÇÃO:




Phelios.

Por: Game Master.


A primeira vez que joguei Phelios foi em 1992, na casa de um amigo, que tinha alugado o cartucho em uma locadora. Quando eu fui com ele alugar o jogo, havia algumas pessoas em volta das prateleiras escolhendo jogos, e quando pegamos o Box de Phelios, uma das pessoas que estavam do lado nos disse que era um jogo muito difícil. Mal sabia ele que era jogos assim que a gente gostava, tratamos então de alugá-lo e conferir se era verdade.

De fato Phelios era o que havia sido descrito, um jogo absurdamente difícil. Eu não conseguia enxergar Phelios como um Shooting, eu o via como um jogo de aventura, naquele final de semana não conseguimos passar da terceira fase, a ausência de passwords e não ter dicas em mãos daquele jogo(apelamos até para a Power Line)deixava as coisas cada vez mais dificies, e confesso que devolvemos o jogo um tanto frustrados.

Dois anos mais tarde ( 1994) eu consegui comprar meu primeiro Mega Drive, e parti logo para este jogo, e não sosseguei até terminá-lo por completo. Foram longos dois meses, mas consegui, fiquei decepcionado com o final insoso, mas Phelios na minha opinião foi e ainda é um dos jogos mais desafiadores que alguém pode experimentar jogar.


DICAS: VERSÃO MEGA DRIVE (GENESIS):
(Cliquem na imagem para ampliar):

2 comentários:

Henrique disse...

Legal GameMaster.
Nunca vi esse jogo,mas vou procurar pro emulador e jogar.
Abração.

Gustav disse...

thx.. I type this game too in my blog
http://adapani.blogspot.com/2011/10/phelios.html